Translate

18 de agosto de 2012

ARTE NA MÚSICA CANTANDO O MAR





ARTE NA MÚSICA

MÚSICA DO MAR


CANTORES SE ENCANTAM 
E CANTAM O MAR





"Camadas I" -oil pastel sobre papel-2011- Denise D'O. Ludwig
(Fotografia João D' Oliveira-2012)


O MAR
AMAR O MAR



            MAR

               ARTE
         AMAR

                                               




Ainda resta o MAR
                              a NATUREZA
                    a ARTE
                           a POESIA...


 Parodiando Machado de Assis que escreveu "Ainda restam os Versos".


Podemos não ter tudo, podemos não ir a lugar algum, podemos não ter ninguém, mas ainda assim temos os versos, as ARTES, a MÚSICA... o MAR, este grande mar azul, imensidão de água, o mar que inspira os poetas, que navegam pelas suas ondas, pelo seu azul...

Com a poesia, a pintura, somos livres.
E esta liberdade não tem preço.


As interligações entre algumas artes, como a música que inspira-se na poesia, e a pintura que inspira-se na música e vice-versa, todas estas formas de expressão, originam-se da natureza que é simples e complexa ao mesmo tempo.






Abaixo exemplos de um mesmo tema: o MAR e suas variadas interpretações:



Música: "Canção ao Mar" - Dulce Pontes
"Canção ao Mar" é um FADO, aqui interpretado pela cantora portuguesa da atualidade,
 Dulce Pontes. O vídeo tem cenas em homenagem ao mar.
Esta música consagrou a famosa cantora de Fado, a portuguesa Amália Rodrigues.






Abaixo, outro sucesso cantado por Dulce Pontes
 junto ao cantor italiano Andrea Boccelli.

MÚSICA "O MAR E TU"





                                          Amália Rodrigues (1920-1999) cantando a música
                                                                    "Canção ao mar"
(Tem um sotaque muito mais carregado do que a moderna cantora Dulce Pontes)






Dois exemplos da mesma música em diferentes interpretações, épocas e lugares. 

O músico e compositor francês Charles Trenet compôs e interpretou a música "La Mer" em 1938. Depois nos anos 60 o músico e maestro americano Ray Conniff orquestrou "La Mer" e a tornou famosa, até nos dias atuais ainda se tocam em alguns bailes da "saudade".


Música "O Mar"- "La Mer" - Charles Trénet - cantor francês 



RAY CONNIFF (1916-2002) - "La Mer"






Abaixo a música "É Doce Morrer No Mar", interpretada por uma bela dupla:
a cantora brasileira Marisa Montes e Cesária Évora, 
cantora da Ilha de Cabo Verde, com seu sotaque português.


Música: "É Doce Morrer no Mar" - Marisa Montes e Cesária Évora





Não poderia deixar de homenagear aqui o grande músico brasileiro, o "cantor do mar",
 DORIVAL CAYMMI. 
Foi cantor, compositor, violonista e pintor. 
Sua obra invoca o mar, os pescadores, os negros, a vida baiana etc.


Música "O Mar"- Dorival Caymmi






No início deste ano,  fiquei muito feliz ao ganhar um livro maravilhoso de fotografias da natureza.
"A Terra vista do Céu". Livro do fotógrafo Bertrand.
Para surpresa minha, fui uma das escolhidas num concurso Cultural da Editora Abril.
Era só enviar uma frase respondendo a pergunta: 
"Para você o que melhor representa o nosso Planeta?"
Minha resposta ganhadora:
"O MAR!!  Nosso Planeta Azul, de mar, de água.
 Respiramos ao movimento de suas ondas. Dele nascemos e morreremos.
Inspira a todos, de poetas a cientistas,
que descobrem mais mistérios nesta imensidão azul de mar."
Escrevi a frase acima, por amar o mar, depois de pintá-lo, depois de tanto ler poesias inspiradas no mar. Principalmente as poesias portuguesas, de Fernando Pessoa, sem falar de Camões e também de uma escritora mais moderna,  que tanto amou o mar de Portugal e suas lindas praias que a inspiraram, que é a escritora e poetisa portuguesa de origem dinamarquesa, Sophia de Mello Breyner, já falecida. Ela era também uma apaixonada pelo mar. Escreveu dentre tantos poemas lindos a frase: "Metade da minha alma é feita de maresia".
No Oceanário (Aquário)  de Lisboa há inúmeras frases da escritora Sophia de Mello Breyner, inspiradas sobre o mar, os peixes, enfim, sobre o fundo de mar, inscritas nas paredes de todo o interior do lugar.


"Mar Profundo II" Giz Pastel Oleoso- A4- 2010
Denise D'O. LUDWIG



O FUNDO DO MAR
Poesia Sophia M. Breyner (Obra Poética I)

No fundo do mar há brancos pavores,


Onde as plantas são animais
E os animais são flores.
Mundo silencioso que não atinge
A agitação das ondas.
Abrem-se rindo conchas redondas,
Baloiça o cavalo-marinho.
Um polvo avança
No desalinho
Dos seus mil braços,
Uma flor dança,
Sem ruído vibram os espaços.

Sobre a areia o tempo poisa
Leve como um lenço.

Mas por mais bela que seja cada coisa
Tem um monstro em si suspenso.


3 comentários:

  1. NOSSA!
    Ai, que bom que vc criou o blog!!!!

    Olha que texto riquíssimo. EU adorei sua frase ganhadora e os fados. Sabia que os escuto desde adolescente. Qndo passou a minissérie Os Maias, conheci Madredeus, e depois quis conhecer outros e Dulce Pontes é uma delas que, aliás, amo sua interpretação da dramática "O Mar". Sugiro Rosa Branca, de Mariza. Gosto demais. Não conheço a Amália. Bem, talvez já a tenha ouvido em minhas zarpadas no youtube. A sua pintura é lindíssima! Como sempre. Adoraria conhecer o oceanário que descreveu... =] Aiai, amo os fados, me inspiram muito!

    ResponderExcluir
  2. Aline, obrigada. Sou uma pseudo-escritora, metida. Mas gosto de "passear" atualmente por algumas artes. Difícil ver hoje em dia alguma jovem gostar de certas músicas, como as Eruditas Clássicas, Fados etc. Por isto eu a parabenizo pelo seu bom gosto musical.
    Escutarei a música'Rosa Branca' e depois digo-lhe o q. achei.
    Então, lá na "terrinha" aprendi durante meu período vulgo "Sabático", para apreciar algumas coisinhas de lá. Sabia que eles falam tudo no diminutivo mesmo?! Pergunte a sua mami. Beijinhos, e vamos adubando e cultivando nossos bloguinhos.

    ResponderExcluir