Translate

12 de abril de 2013

PINTURAS DE BEIJOS - KLINT - MAGRITTE - FRAGONARD - CHAGALL - MARY CASSAT - MUNCH - RODIN - TOULOUSE-LAUTREC E OUTROS ARTISTAS




ARTE EM TEMA ROMÂNTICO E AFETIVO


PINTURAS DE BEIJOS



Dia do Beijo
13 de Abril


Diversos artistas representaram em suas obras
este ato de afeto, romântico e belo.
Pinturas, esculturas, gravuras...
em diferentes técnicas e épocas.


"O Beijo" (detalhe) - Gustav Klint
Pintor simbolista austríaco (1862-1918)



"A pintura acima 'O Beijo' foi executada pelo pintor simbolista austríaco Gustav Klimt,
entre 1907 e 1908, no auge do "período de ouro", quando pintou uma série de obras em um
estilo similar com dourados.
Em um quadrado perfeito, a tela retrata um casal se abraçando, seus corpos entrelaçados
em trajes elaborados, decorados com estilo influenciado pela construção linear do movimento
Art Nouveau e por formas orgânicas do movimento anterior chamado 'Artes e Ofícios'.
A obra é composta de pintura a óleo com camadas aplicadas de folha de ouro,
 um aspecto que lhe dá uma aparência muito moderna e sugestiva.
A pintura está atualmente na Galerie Belvedere Österreichische, Museu do Palácio Belvedere,
em Viena , e é considerada famosa obra-prima do início do período moderno.
É um símbolo de Viena Jugendstil-Art Nouveau vienense e considerada a obra mais
popular de Klimt".


"O Beijo"
Gustav Klimt 
Pintor simbolista austríaco (1862-1918)


Dois artistas austríacos, talentosos e românticos:
o pintor Klimt, autor da famosa pintura "O Beijo" (acima) 
e o compositor Schubert, autor da famosa e romântica música "Serenade".


Música: "Serenata" - Franz Schubert
Compositor austríaco (1797-1928) 





Theoplile Alexandre Steinlen

Francesco Hayes
Pintor italiano (1791-1882)

Renée Magritte
Pintor surrealista francês (1898-1967)



Música: "Rapsodia" - Rachmaninoff
Compositor russo (1873-1943)





O Beijo Maternal, com Amor e com Afeto


Mary Cassatt
Pintora impressionista americana (1844-1926)


Adrienne Kralick
Pintora americana contemporânea

Morgan Weistling
Pintor americano contemporâneo


Beijo Roubado...

Jean-Honnoré Fragonard
Pintor francês (1732-1806)

Marc Chagall
Pintor russo (1887-1995)

Amos Caccioli
Pintor italiano (1832-1891)


Carolus Duran
Pintor francês (1837-1917)



O artista norueguês Munch (autor do famoso quadro "O Grito"), pintou várias versões do casal aos beijos.

Edvard Munch
Pintor norueguês (1863-1944)

Edvard Munch
Pintor norueguês (1863-1944)

Edvard Munch
Pintor norueguês (1863-1944)
"Vampiro" - Edvard Munch



O escultor francês Rodin executou algumas versões da escultura "O Beijo".
Abaixo duas de suas famosas esculturas:

Escultura "O Beijo" - Auguste Rodin
Escultor francês (1840-1917)
Esta escultura, feita em bronze, está localizada no Jardim das Tuileries em Paris

Escultura "O Beijo" - Auguste Rodin
Escultor francês (1840-1917)
Esta escultura, feita em mármore, está localizada no Museu Rodin em Paris






Música: "Tema para "Love Story" (o filme) - Francis Lai
Compositor e pianista francês contemporâneo (n. 1932)
(Autor também da música-tema do filme "Um Homem e uma Mulher")


"O Beijo é um delicioso truque que a natureza criou para interromper a fala quando as palavras tornam-se supérfluas..."
(Rafael)







História do Beijo

"Os mais antigos relatos sobre o beijo remontam a 2500 a.C., nas paredes dos templos de Khajuraho, na Índia. Diz-se que na Suméria, antiga Mesopotâmia, as pessoas costumavam enviar beijos aos deuses. Na Antiguidade também era comum, para gregos e romanos, o beijo entre guerreiros no retorno dos combates.
Era uma espécie de prova de reconhecimento. Aliás, os gregos adoravam beijar. Mas foram os romanos que difundiram a prática. Os imperadores permitiam que os nobres mais influentes beijassem seus lábios, e os menos importantes as mãos. Os súditos podiam beijar apenas os pés. Eles tinham três tipos de beijos: o basium, entre conhecidos; o osculum, entre amigos; e o suavium, ou beijo dos amantes.
Na Escócia, era costume o padre beijar os lábios da noiva ao final da cerimônia. Acreditava-se que a felicidade conjugal dependia dessa benção. Já na festa, a noiva deveria beijar todos os homens na boca, em troca de dinheiro. Na Rússia, uma das mais altas formas de reconhecimento oficial era o beijo do czar.
No século XV, os nobres franceses podiam beijar qualquer mulher. Na Itália, entretanto, se um homem beijasse uma donzela em público, era obrigado a casar imediatamente. No latim, beijo significa toque dos lábios. Na cultura ocidental, ele é considerado gesto de afeição. Entre amigos, é utilizado como cumprimento ou despedida; entre amantes e apaixonados, como prova da paixão.
Mas é também um sinal de reverência, ao se beijar, por exemplo, o anel do Papa ou de membros da alta hierarquia da Igreja. No Brasil, D. João VI introduziu a cerimônia do beija-mão: em determinados dias o acesso ao Paço Imperial era liberado a todos que desejassem apresentar alguma reivindicação ao monarca. Em sinal de respeito, tanto os nobres, como as pessoas mais simples, até mesmo os escravos, beijavam-lhe a mão direita antes de fazer seu pedido. Esse hábito foi mantido por D. Pedro I e por D. Pedro II".



Na Cama...

Theodoré Géricault
Pintor francês (1791-1824)

Henri de Toulouse Lautrec
Pintor francês (1864-1901)

File:Lautrec the kiss 1892.jpg
Henri de Toulouse Lautrec
Pintor francês (1864-1901)

"Beijos não são contratos e presentes não são promessas".
William Shakespeare




Nenhum comentário:

Postar um comentário