Translate

11 de maio de 2013

PINTURAS COM MÃES E FILHOS








ARTE E AS MÃES



PINTURAS E POEMAS DE MÃES E FILHOS




DIA DAS MÃES
Dia 12 de Maio



Sublime função ser mãe...
ser amada
ser útil
ser
plena
completa
realizada
mãe
mulher
dedicada
mãe
cuidadosa
mãe
amorosa
mãe
amiga
mãe
preocupada
mãe
querida
que deixa saudades
deixa exemplo
deixa lição de vida
que passa
de geração
em geração
e fica gravada
no nosso coração.




ELISEU VISCONTI, mATERNIDADE OST,  60 X 81COL PART
"Maternidade" - Eliseu Visconti
Pintor brasileiro (1866-1944)




Música: "Canção que Minha Mãe Ensinou" - Dvorak
Compositor checo (1841-1904)





"Família Campestre" - Eugenio Zampighi
Pintor e fotógrado italiano (1859-1944)


Giuseppe Zocchi
Pintor italiano (1711-1777)

"Maternidade" - Léon Bazile Perrrault
Pintor francês (1832-1908)



De todos os direitos de uma mulher,
o maior é ser mãe. 


William Adolphe-Bouguereau
Pintor francês (1825-1905)

William Adolphe-Bouguereau
Pintor francês (1825-1905



"Os braços de uma mãe são feitos de ternura
e os filhos dormem profundamente neles."
(Victor Hugo)


















Wlastimil Hofman
Pintor polonês (1881-1970)

Wlastimil Hofman
Pintor polonês (1881-1970)



"Vossos filhos não são vossos filhos. 
São os filhos e as filhas da ânsia da vida por si mesma. 
Vêm através de vós, mas não de vós. 
E embora vivam convosco, não vos pertencem. 
Podeis outorgar-lhes vosso amor, mas não vossos pensamentos, 
Porque eles têm seus próprios pensamentos. 
Podeis abrigar seus corpos, mas não suas almas; 
Pois suas almas moram na mansão do amanhã, 
Que vós não podeis visitar nem mesmo em sonho. 
Podeis esforçar-vos por ser como eles, mas não procureis fazê-los como vós, 
Porque a vida não anda para trás e não se demora com os dias passados. 
Vós sois os arcos dos quais vossos filhos são arremessados como flechas vivas. 
O arqueiro mira o alvo na senda do infinito e vos estica com toda a sua força 
Para que suas flechas se projetem, rápidas e para longe. 
Que vosso encurvamento na mão do arqueiro seja vossa alegria: 
Pois assim como ele ama a flecha que voa, 
Ama também o arco que permanece estável."
( Gibran Khalil Gibran )




Pino Daeni
Pintor e ilustrador italiano (1939-2010)

Pino Daeni
Pintor e ilustrador italiano (1939-2010)

Pino Daeni
Pintor e ilustrador italiano (1939-2010)

Pino Daeni 1939-2010 | pintor impressionista italiano
Pino Daeni
Pintor e ilustrador italiano (1939-2010)




"Lamento da Mãe Órfã"

"Foge por dentro da noite
reaprende a ter pés e a caminhar,
descruza os dedos, dilata a narina à brisa dos ciprestes,
corre entre a luz e os mármores,
vem ver-me,
entra invisível nesta casa, e a tua boca
de novo à arquitetura das palavras
habitua,
e teus olhos à dimensão e aos costumes dos vivos!

Vem para perto, nem que já estejas desmanchando
em fermentos do chão, desfigurado e decomposto!
Não te envergonhes do teu cheiro subterrâneo,
dos vermes que não podes sacudir de tuas pálpebras,
da umidade que penteia teus finos, frios cabelos
cariciosos.

Vem como estás, metade gente, metade universo,
com dedos e raízes, ossos e vento, e as tuas veias
a caminho do oceano, inchadas, sentindo a inquietação das marés.

Não venhas para ficar, mas para levar-me, como outrora também te trouxe,
porque hoje és dono do caminho,
és meu guia, meu guarda, meu pai, meu filho, meu amor!

Conduze-me aonde quiseres, ao que conheces, - em teu braço
recebe-me, e caminhemos, forasteiros de mãos dadas,
arrastando pedaços de nossa vida em nossa morte,
aprendendo a linguagem desses lugares, procurando os senhores
e as suas leis,
mirando a paisagem que começa do outro lado de nossos cadáveres,
estudando outra vez nosso princípio, em nosso fim."
(Cecília Meireles)



Monet

Alexander Lyubimov
Pintor russo (1879-1955)




Abaixo algumas das pinturas da artista 
Mary Cassatt, em seu tema preferido, mães e filhos.


Mary Cassat



Música: "Aos Nossos Filhos" - Elis Regina
Compositor: Ivan Lins e Vitor Martins
Intérprete Elis Regina





Mary Cassat
Mary Cassat
Mary Cassat
Mary Cassatt
Mary Cassatt 
Mary Cassatt
Mary Cassatt



"Para Sempre"

"Por que Deus permite
que as mães vão-se embora?
Mãe não tem limite,
é tempo sem hora,
luz que não apaga
quando sopra o vento
e chuva desaba,
veludo escondido
na pele enrugada,
água pura, ar puro,
puro pensamento. 

Morrer acontece
com o que é breve e passa
sem deixar vestígio.
Mãe, na sua graça,
é eternidade.
Por que Deus se lembra
- mistério profundo -
de tirá-la um dia?
Fosse eu Rei do Mundo,
baixava uma lei:
Mãe não morre nunca,
mãe ficará sempre
junto de seu filho
e ele, velho embora,
será pequenino
feito grão de milho."
Carlos Drummond de Andrade










"Mãe"

"Renovadora e reveladora do mundo
A humanidade se renova no teu ventre.
Cria teus filhos,
não os entregues à creche.
Creche é fria, impessoal.
Nunca será um lar
para teu filho.
Ele, pequenino, precisa de ti.
Não o desligues da tua força maternal.

Que pretendes, mulher?
Independência, igualdade de condições...
Empregos fora do lar?
És superior àqueles
que procuras imitar.
Tens o dom divino
de ser mãe
Em ti está presente a humanidade.

Mulher, não te deixes castrar.
Serás um animal somente de prazer
e às vezes nem mais isso.
Frígida, bloqueada, teu orgulho te faz calar.
Tumultuada, fingindo ser o que não és.
Roendo o teu osso negro da amargura."
(Cora Coralina)




"Tudo é incerto neste mundo hediondo, mas não o amor de uma mãe."
(James Joyce)


<3<3<3<3<3<3<3<3<3<3<3<3<3


Letra da Música: "Aos Nossos Filhos"

Elis Regina

Composição: Ivan Lins/Vitor Martins



Perdoem a cara amarrada, 

Perdoem a falta de abraço, 
Perdoem a falta de espaço, 
Os dias eram assim... 

Perdoem por tantos perigos, 
Perdoem a falta de abrigo, 
Perdoem a falta de amigos, 
Os dias eram assim...

Perdoem a falta de folhas, 
Perdoem a falta de ar 
Perdoem a falta de escolha, 
Os dias eram assim...

E quando passarem a limpo, 
E quando cortarem os laços, 
E quando soltarem os cintos, 
Façam a festa por mim...

E quando lavarem a mágoa, 
E quando lavarem a alma 
E quando lavarem a água, 
Lavem os olhos por mim... 

Quando brotarem as flores, 
Quando crescerem as matas, 
Quando colherem os frutos, 
Digam o gosto pra mim... 

Digam o gosto pra mim...
(Ivan Lins)


2 comentários:

  1. LINDAAA postagem Denise, me deliciei.
    As escolhas denotam toda a sensibilidade de uma artista, de uma auscultadora não só da vida, mas, do íntimo dos seres.
    um bjo!

    Ser mãe, nada mais inefável, eu diria.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada Aline. As pinturas continuam mostrando todos os temas de nossas vidas, de nosso mundo...
      Este é meu tema preferido, em particular, mães e filhos, nossa maior e mais sublime prova de vida...de continuação.
      Ser mãe, é realmente difícil de explicar em palavras este sentimento tão... tudo...é inefável mesmo, divino.
      Beijo grande a você que é uma super mamãe dedicada.

      Excluir