Translate

25 de junho de 2013

ARTE EM PINTURAS DE IMIGRANTES E CÂNDIDO PORTINARI









ARTE E IMIGRAÇÃO


PINTURAS DE IMIGRANTES




Dia dos Imigrantes
25 de Junho
(21 de fevereiro - Dia Nacional do Imigrante Italiano)




Somos Todos Cidadãos do Mundo




Música Tradicional Italiana - Instrumental



O Dia do Imigrante, comemorado dia 25 de junho, foi instituído no Brasil em 1957, através da lei 30.128, quando se encerra a semana das festividades iniciadas em 18 de junho, com o Dia da Imigração Japonesa.









Lasar Segall, imigrante lituano, naturalizado brasileiro, disse:

" Os emigrantes, seres humanos, repassados de nostalgia e saudades, de esperanças e desilusões."



"Navio de Emigrantes" - Lasar Segall
Pintor lituano-brasileiro (1891-1957)

Lasar Segall denominou sua pintura de "Navio de Emigrantes" e não Imigrantes, referindo-se, não aquele que chegou, mas aquele, que como ele, partiu.


Pintura Explicada:

"A pintura acima, 'Navio de Emigrantes' é um grande painel (230X275 cm), do pintor e escultor brasileiro de origem lituana, Lasar Segall. A   temática predominante de suas obras é o drama social e o destino trágico da humanidade, tudo isso expresso por meio da construção de composições despreocupadas com a realidade tal qual ela é vista. Apenas a mensagem que o artista quer transmitir.
Nesta obra, Segall conferiu dignidade e valor a seres oprimidos e desajustados. Plantou com sabedoria plástica o problema do homem frente a uma natureza hostil e a uma sociedade que o entrega à solidão absoluta.  Entulhado no convés do navio, o contingente disforme de emigrantes, já dividido por suas próprias solidões, perde o Norte e ruma em direção ao desconhecido, ao oceano cinza.
Alguns críticos estabelecem uma correspondência entre este quadro e o poema  "Navio Negreiro" de Castro Alves."




"Navio Negreiro"
(Parte 1 -4 a 6 estrofes)
Castro Alves - poeta brasileiro (1847-1871)

"Estamos em pleno mar. . . Abrindo as velas
Ao quente arfar das virações marinhas,
Veleiro brigue corre à flor dos mares,
Como roçam na vaga as andorinhas...

Donde vem? onde vai? Das naus errantes
Quem sabe o rumo se é tão grande o espaço?
Neste saara os corcéis o pó levantam,
Galopam, voam, mas não deixam traço.

Bem feliz quem ali pode nest'hora
Sentir deste painel a majestade!
Embaixo — o mar em cima — o firmamento...
E no mar e no céu — a imensidade!"




"Navio Negreiro" - Cândido Portinari
Pintor brasileiro (1903-1962)



"Navio de Imigrantes" - John Charles Dollman
Pintor inglês (1851-1934)











Música Japonesa Tradicional




"O Desembarque dos Imigrantes" - Jacques Lee
Pintor chinês-americano








IMIGRAÇÃO NO BRASIL

"A imigração ocorre por vários motivos, dentre os quais a falta de perspectiva do individuo em sua própria nação, espírito de aventura, guerras, razões políticas, estudo etc.
Quando o Brasil se tornou independente de Portugal, em 1822, já era um país muito extenso, mas pouco povoado. Era preciso ocupá-lo de fato, isto com sua própria gente, e dessa maneira garantir as fronteiras. Por esse motivo, uma das medidas do governo brasileiro foi incentivar a vinda de imigrantes europeus. Eles contribuíram para o desenvolvimento de uma vasta área do país.
Embora, os portugueses tenham sido antes de tudo nossos colonizadores, eles vieram como imigrantes para o Brasil em 1853. Ao chegarem se estabeleceram em São Paulo, principalmente, nas fazendas de café. Mas depois, ampliaram suas atividades no interior do país, abrindo pequenos negócios como padarias, mercearias e serralherias etc.
Na região Sul, italianos, alemães, poloneses e ucranianos, entre outros, povoaram as áreas serranas e os vales dos rios. Esse movimento, iniciou em meados do século dezenove e se estendeu até as primeiras décadas do século vinte.
Ao longo de todo o século XIX, o Brasil também foi parada obrigatória de muitos cientistas e artistas europeus. Embora eles não viessem ao Brasil com o objetivo de viver aqui, mas apenas para conhecer e registrar a exuberância de plantas, animais e povos nativos, os cientistas e os artistas estrangeiros ajudaram a divulgar a imagem de nosso país na Europa.


Imigração - Italianos, japoneses e alemães

A presença italiana em terras brasileiras é mais antiga do que imaginamos. Uma das naus da esquadra de Pedro Álvares Cabral pertencia aos italianíssimos Marchioni. Em 1525, o navegador veneziano Sebastião Caboto ao chegar ao litoral sul brasileiro deu o nome de sua mulher, Catarina, àquela terra, hoje Santa Catarina.


Navio de imigrantes chegando ao Brasil

Os primeiros italianos começaram a chegar ao Brasil antes da unificação italiana em 1870. Com o fim do tráfico negreiro e a pressão para a abolição da escravatura, o governo brasileiro começou a incentivar a vinda de imigrantes europeus. A Itália, por sua vez, queria enviar o excedente populacional para fora do país. Assim, os dois países assinaram os acordos para a vinda de colonos italianos.
Entre 1884 e 1903, mais de um milhão de italianos chegaram ao nosso país. A maioria deles se estabeleceu em São Paulo, Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina. Os demais foram para o Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo. Em São Paulo, eles trabalhavam nas grandes fazendas de café, enquanto no Sul, recebiam pequenos lotes de terra, iniciando a colonização da Serra Gaúcha. Os que tinham ofícios urbanos, como gráficos e artesãos, ficaram nas cidades.
Os japoneses chegaram em 1908, quando o Japão enfrentava sérios problemas econômicos e sociais. O governo, para minimizar esse caos, facilitou a saída dos que queriam emigrar. O Brasil possibilitou a entrada desses imigrantes, tendo como principal motivo, a necessidade de mão-de-obra nas zonas agrícolas do país. Os detalhes dessa história você vai saber consultando 18 de junho, Dia da Imigração Japonesa.
Os alemães chegaram em 1924 e fundaram colônias, como as de São Leopoldo (RS), Rio Negro (PR) e São Pedro de Alcântara (SC). Em Santa Catarina, ergueram ainda Joinville, Blumenau e Brusque. Os poloneses, russos e ucranianos também espalharam suas colônias pela região sul do país.
Fonte: http://www.portalescolar.net/2011/10/dia-do-imigrante-01-de-dezembro-ou-25.html


"Retirantes" - Cândido Portinari
Pintor brasileiro (1903-1962)


Cândido Portinari - Filho de Imigrantes Italianos

Cândido Torquato Portinari era filho de imigrantes italianos e nasceu em Brodowski, São Paulo, no dia 29 de dezembro de 1903. 
     Menino de educação precária, Portinari mostrou pela primeira vez seu talento quando foi recrutado por pintores e escultores italianos para ajuda-los a restaurar igrejas brasileiras. Ele tinha apenas 14 anos. Aos 15, mudou-se para o Rio de Janeiro e começou a estudar na Escola Nacional de Belas Artes. Ao preparar uma tela com elementos acadêmicos tradicionais, ganhou uma viagem para a Europa e se mudou, então, para Paris.
Na sua volta ao Brasil, em 1946, acabou mudando sua estética de trabalho.
 Passou a valorizar mais as cores e a quebrar a tridimensionalidade de suas obras, se dedicando aos afrescos. Começou a aparecer na imprensa e a participar de grandes exposições. Destacou-se no Museu se Arte Moderna de Nova Iorque, o MoMA e, em 1935, recebeu uma premiação por sua obra “Café”, o que aumentou ainda mais sua notoriedade no exterior.
 Em 1954 o artista é surpreendido por um grave problema de saúde. As tintas que utilizava lhe causaram uma grave intoxicação e os médicos aconselharam-no a parar de trabalhar. Ele jamais obedeceu.
 Cândido Portinari morreu em 6 de fevereiro de 1962, e é um dos principais nomes da pintura brasileira.
Suas obras são figurativas e se aproximam do surrealismo, do cubismo e da arte dos muralistas mexicanos, tratando questões sociais brasileiras. 

"Retirantes" - Cândido Portinari
Pintor brasileiro (1903-1962)

" Despejados" - Cândido Portinari
Pintor brasileiro (1903-1962)

"Retirantes" - Cândido Portinari
Pintor brasileiro (1903-1962)


Nenhum comentário:

Postar um comentário