Translate

14 de junho de 2013

FOTOGRAFIAS E PINTURAS DE TORRES DE ENERGIA EÓLICA - PINTURAS DE MONET - BOUDIN - VAN GOGH E OUTROS PINTORES









ARTE E NATUREZA

ENERGIA RENOVÁVEL: VENTO


ARTE EM FOTOGRAFIAS E PINTURAS
DE TORRES DE ENERGIA EÓLICA



Dia da Energia Eólica
15 de Junho



















Música: "Vento" ("Wind") - Brian Crain






Energia Eólica - Energia Renovável

A energia renovável é a energia que vem de recursos naturais como sol, vento, chuva e marés que são recursos renováveis, ou seja, naturalmente reabastecidos. 
A energia eólica uma das fontes mais "amigáveis" de energia renovável para o meio ambiente.

É a energia obtida pela ação do vento, ou seja, através da utilização da energia cinética gerada pelas correntes atmosféricas.
O vento vem da palavra latina aeolicus, relativa à Eolo, deus dos ventos na mitologia grega.
A energia eólica tem sido utilizado desde a Antiguidade para mover os barcos movidos por velas ou operação de outras máquinas. É uma espécie de energia verde. Essa energia também vem do Sol, que aquece a superfície da Terra de forma não homogênea, gerando locais de baixa pressão e locais de alta pressão, fazendo com que o ar se mova gerando ventos.
O vento é a fonte renovável de maior sucesso a nível europeu. No entanto, há quem se oponha a esta utilização, por motivos estéticos de alteração da paisagem.

Nordeste do Brasil














O Novo e o Antigo

Abaixo dois estilos de torres de captação de energia eólica na Holanda,
o antigo e o novo, lado a lado.






Holanda
Holanda




Pinturas

Holland / Dutch windmilll painting. Can be canvas or paper printed. Can be requested with or without artist's signature. Stock Photo - 8232921


Vincent van Gogh
Pintor holandês (1853-1890)



Claude Monet
Pintor impressionista francês (1840-1926)


Claude Monet
Pintor impressionista francês (1840-1926)


Claude Monet
Pintor impressionista francês (1840-1926)


Claude Monet
Pintor impressionista francês (1840-1926)

Claude Monet
Pintor impressionista francês (1840-1926)


Jacob van Ruisdael
Pintor holandês (1628-1682)

Jacob van Ruisdael
Pintor holandês (1628-1682)



Aert van der Neer
Pintor holandês (1603-1677)

Eugene Boudin
Pintor francês impressionista (1824-1898)


Eugene Boudin
Pintor francês impressionista (1824-1898)


A Energia Eólica no Brasil

De qualquer lado que se olhe, o setor eólico no Brasil é um dos mais promissores na área energética, segundo analistas e levantamentos recentes. As condições de clima e relevo e os avanços tecnológicos fizeram com que o Global Wind Energy Council, que agrupa organizações e empresas do setor, elegesse o Brasil como um dos países de maior potencial na geração de energia pelo vento.
Entretanto, o Brasil tem muito a caminhar nesta área. A falta de planejamento e de linhas de transmissão impedem o avanço desta alternativa de energia "limpa" e de fonte renovável no Brasil.


Insuficiência nas linhas de transmissão

"Depois de ser gerada nos campos eólicos, a energia depende de linhas de transmissão para chegar aos consumidores. O que, na prática, parece lógico, na teoria não é tão claro assim. Atualmente, essas redes não são de responsabilidade das mesmas empresas que mantém os parques em si. E isso vem gerando uma falta de sincronia nos prazos de entrega.

"O problema das linhas de acesso é um enorme entrave. O prazo de três anos para um empreendimento (estipulado em muitos leilões) acaba sendo curto, já que com todos os trâmites, o tempo real de construção acaba sendo menor que três anos", afirma Ricardo Baitelo, coordenador da Campanha Clima e Energia do Greenpeace Brasil.
Um bom exemplo desse cenário ocorre no Nordeste, onde três usinas estão prontas, mas sem gerar energia há quase um ano por falta de linhas. Essa falta de sincronia na região - que abriga 60 das 92 usinas eólicas - provoca um desperdício de energia que, por sua vez, representa um prejuízo para o governo que já ultrapassou os R$ 260 milhões, segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Esse é o valor que o governo já pagou às empresas, uma vez que elas entregaram o empreendimento no prazo."
"A discussão sobre as fontes eólicas ganharam ainda mais fôlego no início do ano de 2013 quando, diante de baixos níveis de reservatórios nas hidrelétricas, o país passou pelo risco de novos apagões ou racionamento. Para lidar com o problema, o governo usou as termoelétricas em caráter emergencial."

Nenhum comentário:

Postar um comentário