Translate

28 de novembro de 2014

PAVEL FILONOV - PINTOR RUSSO







PINTURAS DE PAVEL FILONOV

PINTOR RUSSO


Filonov foi um artista da Vanguarda Russa.
Ele escreveu o artigo "O Cânone e a Lei" no qual formulou os princípios do realismo analítico, ou anti-cubismo.
Foi amigo de Maiakovski, o "poeta da Revolução" que escreveu:

"A arte deve ligar-se estreitamente com a vida.
Fundir-se com ela ou perecer."

"Fórmula da Primavera"

"O quadro 'Fórmula da Primavera' (acima)
possui um excesso de cores e
formatos, com seus contornos indefinidos,
com movimentos e focos extremamente
variados, a um ponto que não é possível
determinar neles qualquer começo, meio
ou fim, abrindo-se, desse modo, como um
vastíssimo campo imagético e simbólico –
espaço de sensações."
(Larissa Elias - EBA-UFG)



"Cosmos" - Pavel Filonov
Pintor russo (1882-1941)



Música: "Piano Concerto N. 3" - Prokofiev
Sergei Prokofiev: compositor russo (1891-1953)
Pianista: Daniil Trifonov




"Renascimento das Pessoas"


"Na Mesa"

"Festa com Três Pessoas à Mesa"



O próprio Filonov considerou a obra "Cabeças", abaixo, como seu primeiro trabalho de verdade:

"Cabeças" - Pavel Filonov
Pintor russo (1882-1941)


"Onze Cabeças"

"Pessoas"


"Degeneração de um Homem"


"Pintura Branca"


"Composição"


"Fórmula do Universo"


"Cabeça"


"Duas Cabeças"


"Faces"


"Florescimento Universal"





Os Cavalos de Filonov

"Cavalos"



Música: "Suíte do Tenente Kije Op. 60 - Troika" - Prokofiev
Sergey Prokofiev: compositor russo (1891-1953)
Orquestra Filarmônica de Londres
Condutor: Anatole Fistoulari

(Troika, palavra russa que tradicionalmente designa um trenó conduzido por três cavalos alinhados lado a lado)






"Animais"

"O Homem e o Cavalo"

"Cavaleiro"





Religiosidade

"Sagrada Família"


"Homem e Mulher - Adão e Eva"


"Os Magos"


"Adoração dos Magos"



"Fuga para o Egito"


"São Jorge de Victourios"


"Três Reis"


"O Banquete dos Reis"



Retratos

"Retrato de Nicolay Glebov Putlovsky





Auto-Retrato - Pavel Filonov



Vídeo-Música: Pinturas de Pavel Fionov




Auto-Retrato - Pavel Filonov

"Filonov nasceu em Moscovo, no dia 27 de dezembro de 1882, no seio de uma família operária que em 1897 se transladou a Petrogrado, onde Filonov recebeu aulas de arte. Em 1908 conseguiu ingressar como estudante na Academia Imperial das Artes de Petrogrado, de onde foi expulso em 1910. Após a sua saída da academia, integrou o grupo União dos Jovens (Союз Молодежи), nucleado pelo mecenas Levki Jeverjeev e entre cujos membros destacados estavam Elena Guro, Olga Rozanova, Varvara Bubnova, Mikhail Matiushin, David Burliuk, Vladimir Burliuk, Iuri Annenkov, Kazimir Malevitch, Vladimir Tatlin ou Ivan Kliun.
Em 1912, escreveu o artigo intitulado 'O cânone e a Lei', no qual formulou os princípios do realismo analítico ou "anti-cubismo": de acordo com Filonov, os artistas cubistas representavam os objetos segundo a sua geometria de superfície, enquanto os realistas analíticos deviam representar a geometria interior dos objetos. Esses princípios mantiveram-se em toda a obra posterior de Filonov, que entre 1913 e 1914, esteve muito próxima da de Vladimir Maiakovski, Velimir Khlebnikov e outros artistas futuristas. Nesta época, trabalhou como ilustrador de livrinhos futuristas e publicou o seu poema transracional a 'Canção da Florescência Universal' (Propoved’ o porosli mirovoi).
Em 1917, Filonov participou de forma ativa na Revolução de Outubro, dirigindo até o Comité de Guerra Revolucionária da região de Dunai, mas o poder bolchevique se estabeleceu, e ele regressou à pintura. Em 1919, expõe na 'Primeira Mostra Livre de Artistas de Todas as Tendências' que se celebra no Museu Hermitage. A sua obra - como a de outros artistas de vanguarda - foi apoiada pelo Narkompros, dirigido por Anatoli Lunatcharski, o que fez com que Filonov ingressasse primeiramente como professor da Academia de Artes de Petrogrado e como membro do Instituto de Cultura Artística, sob direção de Kazimir Malevitch, onde organizou mais de setenta artistas que seguiam os princípios do realismo analítico. Ainda mais, o seu trabalho conseguiu influenciar outras correntes, como o suprematismo e o expressionismo."
Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Pavel_Filonov



22 de novembro de 2014

PINTURAS DE FLAUTAS E FLAUTISTAS - MÚSICAS AO SOM DE FLAUTAS







PINTURAS DE FLAUTISTAS


A FLAUTA


Dia do Músico
22 de Novembro











Fang Junbi
Pintora chinesa (1888-1926)




Música Indiana Instrumental - Hariprasad Chaurasia
Compositor e flautista indiano contemporâneo

















Música: "L'Enfance du Christ - (A Infância de Cristo)" - Berlioz

Hector Berlioz: compositor francês (1803-1869)
Jean-François Lagrost - Flauta
Oliver Michel - Flauta
Anne Boiché - Harpa






Jan van Bijlert
Pintor holandês (c.1587-1671)








"Uma noite de lua pálida e gerânios ele viria com boca e mão incríveis tocar flauta no jardim."
(Adélia Prado, Trecho de "A Serenata")









"Hoje executarei meus versos na flauta de minhas próprias vértebras."
(Vladimir Maiakovsky)


Judith Leyster
Pintora holandesa (1806-1660)


"O Flautista" - Édouard Manet
Pintor francês (1832-1883)









Músicas inspiradas na Flauta


Música: "Syrinx - A Flauta de Pan" - Debussy
Claude Debussy: compositor francês (1862-1918)






Música: "A Flauta Mágica - abertura" - Mozart
Wolfgang Amadeus Mozart: compositor austríaco (1756-1891)
The World Symphony





Charles Amable Lenoir
Pintor francês (1860-1926)



Música: "Concerto para Flauta e Orquestra" - Mozart
Wolfgang Amadeus Mozart: compositor austríaco (1756-1891)
Flautista: Emanuel Pahud




"Poemas de Dezembro"
Carlos Drummond de Andrade

Depois, moldar de vento a flauta
que há de espalhar esta canção
Por fim tecer de amor lábios e dedos
que a flauta animarão
E a flauta, sem nada mais que puro som
envolverá o sonho da canção
por todo o sempre, neste mundo
(Dezembro de 1981)



"O Pastor Flautista" - Sophie Anderson
Pintora francesa (1823-1903)


Aristóteles fez a seguinte declaração sobre a FLAUTA:
"Nós escutamos uma canção na flauta com mais prazer do que na lira, pois o canto da voz humana e a flauta se misturam bem por causa da suas correspondência e simpatia, um e o outro se animam pelo vento!"



Flauta - História

"A flauta é instrumento musical de sopro família das madeiras formado por um tubo oco com orifícios. É um aerofone que, a partir do fluxo de ar dirigido a uma aresta que vibra com a passagem do ar, emite som. Bastante antigo, a execução de tal instrumento consiste no ato de soprar o interior do tubo ao mesmo tempo em que se tapam e/ou destapam os orifícios com os dedos. De acordo com o sistema de classificação de instrumentos de Hornbostel-Sachs a flauta é classificada no grupo 421 - aerofones com sopro em aresta.2 A pessoa que toca flauta é chamada de flautista.
Além da voz, as flautas são conhecidas por serem os primeiros instrumentos musicais. Existem flautas conhecidas datadas de 40.000 a 35.000 anos atrás, que foram encontradas na região dos Alpes Suábios (Alemanha). Essas flautas demonstram uma tradição musical que se desenvolvia desde os primórdios da presença humana moderna na Europa.

As primeiras flautas assemelhavam-se a apitos, pois só tinham um orifício (buraco) e eram feitas da tíbia de animais e de humanos. Com o passar do tempo a flauta foi evoluindo-se e deu origem a outros instrumentos de sopro, como o oboé, o fagote, a flauta doce e a flauta transversal.
Como todo instrumento musical primitivo, a flauta teve um papel mágico. Ela era usada para acompanhar os rituais religiosos. Algumas culturas proibiram o uso das flautas pelas crianças e as mulheres sob pena de morte. Ainda hoje temos exemplo disso, como no Xingu brasileiro."

Flaute de Osso

Flauta de Marfim

Mais Antigo Instrumento Encontrado
"Nas pinturas presentes nas cavernas é possível se observar reproduções de flautas ou de apitos, o que comprova a presença deste instrumento desde 60.000 a.C. O mais antigo instrumento já encontrado é uma espécie de flauta, feita através de um fragmento do fêmur de um jovem urso-das-cavernas, com dois a quatro furos, encontrado em Divje Babe na Eslovênia e teria cerca de 43 mil anos. A autenticidade desse fato, porém, é muitas vezes contestada. Em 2008, outra flauta fabricada há pelo menos 35 mil anos foi descoberta na caverna Hohle Fels, perto de Ulm, Alemanha.
A flauta de cinco furos tem um bocal em forma de V e é feita a partir de um osso de asa de abutre. Os pesquisadores envolvidos na descoberta publicaram oficialmente suas descobertas na revista Nature, em agosto de 2009.
A descoberta é também a mais antiga já confirmada referente a qualquer instrumento musical na história.
 A flauta foi descoberta na caverna Hohle Fels ao lado do Vênus de Hohle Fels, a mais antiga escultura humana conhecida. Ao anunciar a descoberta, os cientistas sugeriram que as "descobertas demonstram a presença de uma tradição musical bem estabelecida na época em que os seres humanos modernos colonizaram a Europa".
Os cientistas também sugeriram que a descoberta da flauta pode ajudar a explicar "o comportamento provável e o abismo cognitivo entre" o homem-de-neandertal e os primeiros homens modernos."
Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Flauta