Translate

3 de outubro de 2012

ARTE EM PINTURAS DE FLORES EM CORES - OS VERMELHOS OU ROSAS DAS ROSAS




ARTE EM CORES E FLORES - AS ROSAS

ARTE EM PINTURAS, MÚSICAS E POEMAS DE ROSAS




As rosas em todas as cores com a perfeição e delicadeza de suas pétalas sobre pétalas.
São as rosas cor de rosa ou as vermelhas as mais belas? 
Ou as brancas ou as amarelas?
Todas foram pintadas e poetizadas por diversos artistas em todas as épocas,
evocando dos mais simples aos mais complexos significados e ocasiões. 
Nas românticas histórias de amor, em comemorações e festejos, as rosas foram e ainda são protagonistas em vários cenários.


"Rosa e prata"-Óleo s/ tela-1998
Denise D'O. Ludwig

(Foto João D'Oliveira)



Renoir eternizou as rosas pintando-as com sua técnica impressionista.
Com sua pincelada chamada "mancha/cor",
sem contornos definidos, 
preservou a vivacidade e delicadeza que possuem as rosas. 


Auguste RENOIR



RENOIR
Pintor francês (1841-1919)





"As rosas não falam, simplesmente exalam 
o perfume que roubaram de ti."
(Cartola-1908-1980)


Música: "As Rosas Não Falam" - Interpretada por Beth Carvalho

(clique na seta abaixo)



RENOIR



RENOIR

GEORGINA DE ALBUQUERQUE
Pintora Brasileira (1885-1962)

GEORGINA DE ALBUQUERQUE

ALFREDO  VOLPI
Pintor ítalo-brasileiro (1896-1988)

SHOKICHI TAKAKI
Pintor nipo-brasileiro (1914-2006)

GEORGINA DE ALBUQUERQUE

JORGE REIDER
PINTOR AUSTRÍACO-BRASILEIRO (1912-1962)
Conhecido como o pintor das rosas

JORGE REIDER

LAURIE PACE
Artista norte-americana contemporânea


MARK WEBSTER
Artista norte-americano cubista
contemporâneo



Música: "The Red Roses for a Blue Lady"
Cantor: Pat Boone



ESTELLE HARTLEY
Artista sul-africana contemporânea
Pintura: "Red Roses for a Blue Lady"
(Mesmo nome da música acima)

ELISEU VISCONTI
Pintor ítalo-brasileiro (1866-1944)



Vídeo com flores variadas se abrindo
Música: "BACH - Suíte n. 1 para cello




Música: "Kiss from a Rose"
Cantor: Seal





AS ROSAS EM POEMAS:


"Há pessoas que choram por saber que as rosas têm espinho, 
Há outras que sorriem por saber que os espinhos têm rosas!"
( Machado de Assis)

"Para as rosas, escreveu alguém, o jardineiro é eterno."
(Machado de Assis)


"Segue o teu destino...
Rega as tuas plantas; 
Ama as tuas rosas.
 O resto é a sombra de árvores alheias"
(Fernando Pessoa)


"Cada um cuidando de seu próprio jardim, plantando, cultivando e colhendo,
 o que se quer e não o que os outros escolheram.
 Saiba escolher as flores que deseja colorirem a sua vida."
(Denise Ludwig)



Música: "Concerto n.21- Andante" - MOZART



Clarice Lispector  escreveu curiosa e criativamente sobre as flores.
Transformando um tema simples de modo criativo, demonstrando cada flor com suas características próprias, não apenas física como também emocionalmente. Sim, ela dá vida própria e emoção  a cada uma das diferentes flores.
Também descreveu poeticamente como elas se reproduzem:


“Agora vou falar da dolência das flores...
 para sentir mais a ordem do que existe. Antes te dou com prazer o néctar, suco doce que muitas flores contém e que os insetos buscam com avidez. Pistilo é o orgão feminino da flor que geralmente ocupa o centro e contém o rudimento da semente. Pólen é pó fecundante produzido nos estames e contido nas anteras. Estame é o orgão masculino da flor. É composto por estilete e pela antera na parte inferior contornando o pistilo. Fecundação é a união de dois elementos de geração - masculino e feminino - da qual resulta o fruto fértil.
“E plantou Javé Deus um jardim no Éden que fica no Oriente
 e colocou nele o homem que formara” (Gen.11-)
Quero pintar uma rosa.
Rosa é flor feminina que se dá toda e tanto que para ela só resta alegria de se ter dado. Seu perfume é mistério doido. Quando profundamente aspirada toca no fundo íntimo do coração e deixa o interior do corpo inteiro perfumado. O modo de ela se abrir em mulher é belíssimo. As pétalas tem gosto bom na boca - é só experimentar. Mas a rosa não é it. É ela. As encarnadas são de grande sensualidade. As brancas são a paz do Deus. É muito raro encontrar na casa de flores rosas brancas. As amarelas são de um alarme alegre. As cor de rosa são em geral mais carnudas e tem a cor por excelência.As alaranjadas são produto de enxerto e são sexualmente atraentes.
Preste atenção e é um favor: estou convidando você a mudar-se para um reino novo.
Já o cravo tem uma agressividade que vem de certa irritação. São ásperas e arrebitadas as pontas de suas pétalas. O perfume do cravo é de algum modo mortal. Os cravos vermelhos berram em violenta beleza.
Os brancos lembram o caixão de criança defunta: o cheiro então se torna pungente e a gente desvia a cabeça para o lado com horror. Como transplantar o cravo para a tela?
O girassol é o grande filho do sol. Tanto que sabe virar sua enorme corola para o lado de quem o criou. Não importa se é pai ou mãe. Não sei. Será o girassol flor feminina ou masculina? Acho que é masculina.
A violeta é introvertida e sua introspecção é profunda. Dizem que se esconde por modéstia. Não é. Esconde-se para poder captar o próprio segredo. Seu quase-não-perfume é glória abafada mas exige da gente que o busque. Não grita nunca seu perfume.
Violeta diz levezas que não se podem dizer.
A sempre-viva é sempre morta. Sua secura tende à eternidade. O nome em grego quer dizer: sol de ouro.
A margarida é florzinha alegre. É simples e à tona da pele. Só tem uma camada de pétalas. O centro é uma brincadeira infantil.
A formosa orquídea é esquise e antipática.Não é espontânea. Requer redoma. Mas é mulher esplendorosa e isto não se pode negar. Também não se pode negar que é nobre porque é epífita. Epífitas nascem sobre outras plantas sem contudo tirar delas a nutrição .Estava mentindo quando disse que era antipática. Adoro orquídeas. Já nascem artificiais, já nascem arte.
Tulipa só é tulipa na Holanda. Uma única tulipa simplesmente não é. Precisa de campo aberto para ser.
Flor dos trigais só dá no meio do trigo. Na sua humildade tem a ousadia de aparecer em diversas formas e cores. A flor do trigal é bíblica.Nos presépios da Espanha não se separa os ramos de trigo.É um pequeno coração batendo.
Mas angélica é perigosa.Tem perfume de capela.Traz êxtase.Lembra a hóstia.Muitos tem vontade de come-la e encher a boca com o intenso cheiro sagrado.
O jasmim é dos namorados.Dá vontade de por reticências agora.Eles andam de mãos dadas, balançando os braços, e se dão beijos suaves ao quase som odorante do jardim.
Estrelícia é masculina por excelência. Tem uma agressividade de amor e de sadio orgulho.Parece ter crista de galo e o seu canto.Só que não espera pela aurora.A violência de tua beleza.
Dama-da-noite tem perfume de lua cheia. É fantasmagórica e um pouco assustadora e é para quem ama o perigo.Só sai de noite com seu cheiro tonteador. Dama-da-noite é silente.
E também da esquina deserta e em trevas e dos jardins de casas de luzes apagadas e janelas fechadas.
É perigosíssima: é um assobio no escuro, o que ninguém aguenta.Mas eu aguento porque amo o perigo.Quanto à suculenta flor de cáctus, é grande e cheirosa e de cor brilhante.É a vingança sumarenta que faz a planta desértica. É o explendor nascendo da esterelidade despótica.
Estou com preguiça de falar da edelvais. É que se encontra à altura de três mil e quatrocentos metros de altitude. É branca e lanosa. Raramente alcançável: é a aspiração.
Gerânio é flor de canteiro de janela. Encontra-se em São Paulo no bairro do Grajaú e na Suiça.Vitória-régia está no Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Enorme até quase dois metros de diâmetro. Aquáticas, é de se morrer delas. Elas são o amazônico dinossauro das flores. Espalham grande tranquilidade.
A um tempo majestosas e simples. E apesar de viverem no nível das águas elas dão sombras. Isto que estou te escrevendo é em latim: de natura florum. Depois te mostrarei o meu estudo já transformado em desenho linear.
O crisântemo é de alegria profunda. Fala através da cor e do despenteado. É flor que descabeladamente controla a própria selvageria.
Acho que vou ter que pedir licença para morrer. Mas não posso, é tarde demais. Ouvi o Pássaro de Fogo - e afoguei-me inteira.
Tenho que interromper porque - eu não disse? eu não disse que um dia ia me acontecer uma coisa? Pois aconteceu agora mesmo.”
(Trecho do livro "Água Viva" - Clarice Lispector)


"Jardim de Rosas" Acrílica s/ papel- 2001
Denise D'O. Ludwig



As Rosas
(Machado de Assis)

Rosas que desabrochais,
Como os primeiros amores,
Aos suaves resplendores
          Matinais;

Em vão ostentais, em vão,
A vossa graça suprema;
De pouco vale; é o diadema
          Da ilusão.

Em vão encheis de aroma o ar da tarde;
Em vão abris o seio úmido e fresco
Do sol nascente aos beijos amorosos;
Em vão ornais a fronte à meiga virgem;
Em vão, como penhor de puro afeto,
          Como um elo das almas,
Passais do seio amante ao seio amante;
          Lá bate a hora infausta
Em que é força morrer; as folhas lindas
Perdem o viço da manhã primeira,
          As graças e o perfume.
Rosas que sois então? – Restos perdidos,
Folhas mortas que o tempo esquece, e espalha
Brisa do inverno ou mão indiferente.

          Tal é o vosso destino,
          Ó filhas da natureza;
          Em que vos pese à beleza,
                   Pereceis;
          Mas, não... Se a mão de um poeta
          Vos cultiva agora, ó rosas,
          Mais vivas, mais jubilosas,
                   Floresceis.

(Machado de Assis, in 'Crisálidas')



13 comentários:

  1. Lindo post, Denise! Gostei de tudo, especialmente de seus quadros (o "Rosa e Prata" é lindo) e do trecho de Clarice Lispector. E, usando a frase de Fernando Pessoa, que nós saibamos escolher as flores que desejamos colorir a nossa vida!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Fátima, novamente me incentivando. Continuo muito vaidosa com isto amiga. Só que o texto sobre escolher as flores...é meu. Coloquei-o abaixo da frase do grande poeta "Pessoa", completando a meu modo, muito sem modéstia, o que ele escreveu.
      Quase fiz uma enquete para saber quais as flores preferidas das pessoas?? Qual ou quais são as suas escolhidas??

      Excluir
  2. Denise,
    adorei esse post super poético sobre a pintura de rosas! E adorei o blog!
    Esses quadros da Georgina de Albuquerque eu nao conhecia. Foi bem legal.

    grande beijo
    Rita

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ritaaa, obrigada!! Super talentosa a Georgina Albuquerque, e famosa, e o marido dela também então, o pintor Lucílio de Albuquerque. EStou adorando saber disto e compartilho com você. Beijooss e obrigada.

      Excluir
  3. Denise,
    adorei esse post super poético sobre as rosas. E adorei o blog!
    Eu nao conhecia esses quadros da Georgina de Albuquerque. Fiquei feliz de saber e vou mostrar pro resto da familia.

    Continue postando e inspirando a gente! beijao
    Rita

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Rita, o blog está crescendo aos poucos e as ideias são muitas. A Cris disse que irá fazer um designer especial, vamos esperar para ver quando. O talento dos seus bisavós está na família, está no seu sangue. Faz um blog de designer...junto com a Cris. Beijão.

      Excluir
  4. Que orgulhos desta mãezinha que tanto amo.
    Mãe estou adorando estas aulas que você tem dado a cada post. Fico muito feliz que esteja unindo suas paixões em algo tão produtivo e gostoso de acompanhar.
    Não ando com muito tempo para comentar sobre os posts em si mais saiba que sempre os acompanho.
    Keep it up mamy. =]
    Te amo e parabéns!!!

    (E preciso depois fazer o design do seu blog, mais do que minha obrigação. rs). ;]

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Cris filhinha. As artes inspiram e a paixão por elas aumentam. As pinturas, as músicas e os poemas... cada ideia que tenho parece um rio que segue seu curso e surgem um "mar" de outras ideias. Esperarei por seu design especial. Beijos, querida.

      Excluir
  5. Que delícia de postagem. Eu simplesmente amo as rosas, e será que te lembras, foi o último que pintamos juntas, quando de nossas aulas no Traço das Artes. Ele estava inacabado e depois eu o terminei. Um dia tiro foto para que vejas.

    Seus quadros de rosas estão lindos... e as músicas são sempre o combustível da viagem. Adorei... Aliás, Kiss From a Rose do Seal é uma das músicas favoritas do Matheus!

    Adorei ler o texto de Clarice que não conhecia. Adoro textos sobre flores... Uma de minhas primeiras poesias, quando era adolescente, foi sobre uma rosa que observei no jardim diverso de minha mãe. Seus texto remontam à lembranças na gente, saiba disso! =]

    Crisálidas do Machado é imortal, me inspirei quando escrevia o romance de Anna Carolina, quase uma alter ego, e antes de se encontrar ela esteve no casulo...

    Parabéns, tudo lindo demais! AMEI...
    Um dia que precisar me inspirar, sei onde posso ir! *-*
    Um bjo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aline, seus comentários complementam meus posts, obrigada. Porém, inspirações não lhe faltam, adorei seu projeto dos Haicais para as crianças. Eu deveria ter lhe pedido um poema seu, para crianças, especialmente agora que tem a bebê. Se quiser pode enviar um que acrescento aqui. Sabe que estou gostando de colocar sempre as três artes juntas, as pinturas, músicas e poemas, ou comentários dos escritores, então "minha escritora amiga", sinta-se livre para colaborar. Beijo.

      Excluir
    2. Que alegria!!
      Me senti orgulhasa agora, hehe.
      Aqui vai, um pequeno poema que escrevi quando estava aprendendo francês... Tenho, como já disse aqui, um outro, inédito, sobre a rosa do jardim da minha mãe. Em breve eu te mando. Vou procurar por aqui. Havia escrito aos 14 anos!


      Une coccinelle et une rose

      Une coccinelle verte est sur la pétale
      d'une très jolie rose.
      Elle est dans le jardin.
      Il y a de la poésie dans mon jardin.

      (Uma joaninha e uma rosa

      Uma joaninha verde está sobre a pétala
      de uma lindíssima rosa.
      Ela está no jardim.
      Há poesia no meu jardim.)

      Aline Negosseki, 29.11.2010

      Eu me inspirei numa fotografia que tirei no roseiral de minha tia avó. As obras aqui quase acabaram com ele... Restou as fotografias... e uma pé de rosa vermelha!
      A fotografia está na barra lateral do meu blog, se quiser ver.

      Bjos.

      Excluir
    3. Aline, obrigada e parabéns, não sabia de mais este dom, escrever os poemas em francês e ainda tão novinha. Seu talento literário já estava plantado mesmo desde o jardim de sua avó, depois de sua mãe.
      Estamos "colhendo flores" que são seus poemas. Já vi este poema no seu blog mas não tinha entendido. É lindo, parabéns.

      Excluir
  6. Isso pq nem falei de Renoir!!!!! AMO!
    Não conhecia esses.

    Rosas e prata é muito lindo! *-*
    Eu tinha 12 quando vc o pintou...

    ResponderExcluir